Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

Manuel Falcão classifica afirmação de António Costa sobre o IPO como «uma provocação que brinca com o valor da vida humana»

Pedro Quartin Graça, 30.09.09

As declarações de António Costa continuam a dar que falar. Em resposta às mesmas, o candidato à presidência da Assembleia Municipal de Lisboa, Manuel Falcão considera «uma provocação que brinca com o valor da vida humana» a declaração de António Costa sobre o futuro do Instituto Português de Oncologia. «A nossa candidatura não entra em manobras baixas à custa do sofrimento alheio e repudia este tipo de atitude política», reforça o mesmo candidato. Ainda de acordo com Manuel Falcão: «depois de realizadas reuniões com a administração do IPO, Pedro Santana Lopes ficou com a certeza de que a renovação e ampliação das actuais instalações do IPO, ou a sua deslocação para outra zona da cidade, deverá cumprir critérios que coincidam com a melhor solução para a instituição e os seus utentes. Não só na cidade, mas em vários pontos do país. É baseado nessa convicção que agirá caso seja eleito, não favorecendo interesses que não têm a ver com a instituição médica nem com os doentes».

O equívoco de Santana Lopes

João Távora, 24.04.09

De forma gratuita, Pedro Santana Lopes prepara-se afrontar os monárquicos portugueses convocando o letárgico Partido Popular Monárquico para a sua coligação à Camara Municipal de Lisboa. Estranho que os seus conselheiros não o tenham advertido de que o PPM se tornou num instrumento de promoção pessoal do Sr. Câmara Pereira, adversário dos monárquicos portugueses e persona non grata à instituição real que estes prezam e honram.
Tendo em conta o cariz supra-partidário da instituição que advoga, um partido monárquico é por si um contra-senso, e esse equívoco adensa-se quando o partido em causa acabou esvaziado de personalidades como Henrique Barrilaro Ruas e Gonçalo Ribeiro Teles, superiores figuras intelectuais que o fundaram e justificaram numa determinada conjuntura histórica.
Se Pedro Santana Lopes desejava atrair monárquicos com esta coligação é bom que se desengane quanto antes: isso não acontecerá num projecto que inclua o partido do Sr. Câmara Pereira.