Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

29
Out15

Prof. Dr. Pedro Quartin Graça é o novo Presidente da Mesa do Congresso da Causa Real.


José Aníbal Marinho Gomes

pedro.jpg

O Prof. Dr. Pedro Quartin Graça, associado da Real Associação de Viana do Castelo, é o novo Presidente da Mesa do Congresso da CAUSA REAL, eleito no passado dia 24 de Outubro no XXI Congresso que se realizou no Palácio da Independência, em Lisboa.

Pedro Quartin Graça (Lisboa, 18 de Maio de 1962) é doutorado em Políticas Públicas pelo ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa. Jurista de formação, é licenciado em Direito (Ciências Jurídico - Políticas) pela Universidade de Lisboa, mestre em Sociedades e Políticas Europeias pelo ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa e D.E.A. em Direito Público pela Universidade da Extremadura.
Foi assessor jurídico do Conselho de Administração da TVI, director executivo da Ordem dos Arquitectos, secretário-geral da Associação dos Produtores/Realizadores de Filmes Publicitários e da Associação Portuguesa de Software.
Iniciou a sua actividade política aos 12 anos de idade no Liceu Camões e, depois, na Juventude Monárquica, tendo integrado as Comissões Executivas e Política do Partido Popular Monárquico. Após a sua saída ingressou no MPT - Partido da Terra, de que foi presidente entre Março de 2009 e Novembro de 2011 e do qual se desfiliou após essa data. Foi secretário-geral da Associação Movimento Alfacinha, em 1992, deputado à Assembleia da República, entre 2005 e 2009, e deputado municipal na Assembleia Municipal de Lisboa, de 1998 a 2001.
Foi co-autor do manifesto Instaurar a Democracia, Restaurar a Monarquia em Fevereiro de 2012 e é membro do Grande Conselho do Movimento 1.º de Dezembro pela defesa e restauração do feriado nacional do 1.º de Dezembro. Entre outras entidades, é membro da SHIP - Sociedade Histórica da Independência de Portugal.
Foi Deputado na X Legislatura e Membro da Comissão Especializada Permanente de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias da Assembleia da República.
Tem-se notabilizado pela defesa de causas como a das Ilhas Selvagens, localizadas na Região Autónoma da Madeira, sendo autor do blog Ilhas Selvagens e da correspondente página e grupo do Facebook.

05
Out09

Monárquicos "embarcaram" numa viagem à Causa Real


Pedro Quartin Graça

Em vésperas do ano do centenário da implantação da República, que se comemora em 2010, a Causa Real “embarcou” na ultima noite numa viagem ao passado gritando “viva o rei, viva a monarquia, viva Portugal” na baixa de Lisboa.

A Causa Real juntou duas centenas de apoiantes do movimento monárquico e partiu de Belém no barco “São Jorge” em direcção ao Cais do Sodré. Às 22:00 já os apoiantes do movimento ouviam música no “São Jorge”, dando início ao percurso que marcou o contributo monárquico às celebrações do ano do centenário da implantação da República em Portugal.

Uma hora depois a embarcação partiu em direcção ao Cais do Sodré, local que serviu como alternativa ao Terreiro do Paço, depois de a Transtejo ter recusado na sexta-feira o desembarque “simbólico” naquele terminal.

Ao contrário do previsto, os monárquicos deslocaram-se para o Largo de Camões sem passar pelo Terreiro do Paço, onde iriam homenagear o rei Dom Carlos I, que a 1 de Fevereiro de 1908 foi assassinado nas ruas de Lisboa, episódio que, dois anos mais tarde, abriu portas à implantação da República, a 05 de Outubro de 1910. Depois de em Janeiro a autarquia de Lisboa ter ordenado a retirada da bandeira monárquica da sede da Causa Real, no Largo de Camões, este símbolo monárquico voltou a ser hasteado perante o olhar, e as vozes, de duas centenas de apoiantes da causa. “Viva o rei, viva a monarquia, viva Portugal”, gritaram as duas centenas de pessoas, confiantes de que esta noite será “o início de uma nova era” para o movimento monárquico.

A chuva marcou o fim da iniciativa no Largo de Camões, com os apoiantes monárquicos a regressarem, às 00:30, ao barco “São Jorge”, para o regresso a Belém. Dezenas de curiosos, que em véspera de feriado se deslocavam para o Bairro Alto, juntaram-se à Causa Real, e assistiram à partida dos monárquicos, que vêem no ano de centenário da República o inicio de uma nova era na luta do movimento pró-monarquia. Segundo Paulo Teixeira Pinto, presidente da Causa Real, este ano de centenário da República pode ser o início de uma nova era para o movimento monárquico. “É o primeiro dia de uma nova era. Acreditamos firmemente que este ano de centenário da república vai dar não só outra visibilidade mas outra importância e influência politica ao movimento monárquico”, adiantou aos jornalistas o presidente da Causa Real.

Para o responsável, “a Causa Real acredita que é seu dever defender o ideal monárquico”. “O rei é para reinar e não para governar. Pretendemos ser uma solução programática para o país, no sentido de que não somos uma alternativa de Governo e tudo quanto defendemos é a alteração da natureza do regime do Estado”, adiantou.

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Publicidade

Comentários recentes

Links

_EM DESTAQUE

_RISCOS ASSUMIDOS

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D