Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

13
Dez11

Nisto ninguém nos bate!


Pedro Quartin Graça

Nuno Sá vence maior concurso mundial de fotografia subaquática

Epson World Shootout, um concurso com características únicas que decorre em todo o mundo, atribuiu o primeiro prémio da categoria “Grande Angular” à fotografia de Nuno Sá, que mostra um tubarão azul junto ao banco submarino "Condor", no mar dos Açores.

O fotógrafo português, especializado em vida marinha selvagem e considerado um dos melhores do mundo, disse à Lusa que também conquistou o quarto lugar na mesma categoria “Grande Angular” com uma imagem de jamantas (da família das raias) tirada junto ao banco submarino “Princesa Alice”, nos Açores.

 

17
Dez08

 

A  magnífica frase de Vergílio Ferreira - talvez a mais feliz de toda a literatura portuguesa, para mim - serve de epígrafe a Escrito no mar, o novo livro de poemas de Manuel Alegre, cujo lançamento foi hoje à tarde na Bulhosa do Campo Grande, em Lisboa.

 

Ao luxuoso amuse gueule de Vergílio Ferreira segue-se uma empolgante declaração do autor: "Tive desde muito novo a tentação e a sedução das ilhas, as ilhas nunca vistas, as ilhas só imaginadas e talvez ainda por descobrir. E até aquela ilha poética, a que nunca se chega. Mas um dia cheguei. E vi: as ilhas escritas, inscritas no mar."

 

Sei exactamente do que fala Manuel Alegre. Partilho com ele uma paixão inflamada e irremediável pelos Açores, essas ilhas encantadas cuja magia tem o condão de transportar-nos para planos nunca imaginados: mais longe, mais alto, mais fundo. As ilhas revelam-se e revelam-nos aos nossos próprios olhos, extasiados e incrédulos. Vem-se de lá em estado de graça - como tentei contar aqui, aqui e aqui - e nunca mais nos esquecemos delas.


Escrito no mar é inteiramente dedicado às ilhas dos Açores, e é de uma beleza que só elas poderiam inspirar. Reúne poemas inéditos, outros publicados anteriormente e recuperados, todos eles unidos pelo fio invisível que une também as ilhas de um arquipélago pleno de sortilégios. Vale a pena ler este livro. Vale sempre a pena ler Manuel Alegre, mas desta vez ainda mais. O rigor na forma, habitual no poeta, não retira às palavras um átomo que seja de emoção ou de paixão. Mas elas não estão sozinhas neste livro: têm ainda a vesti-las a roupagem de gala das fotografias de Jorge Barros. Imagens dos Açores de cortar a respiração, luz e bruma, maresia e mistério.

 

Aqui fica um pequeno poema, como aperitivo:

 

TANTO MAR

 

Atlântico até onde chega o olhar.

E o resto é lava

e flores.

 

Não há palavra com tanto mar

como a palavra

Açores. 

 

(Nota: A imagem que ilustra este post não é do livro)

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Publicidade

Comentários recentes

  • Anónimo

    Exmo. Senhor;Gostaria de saber se possível, o loca...

  • Ribeiro

    Parabéns pelo texto, coragem e frontalidade, apoia...

  • Anónimo

    Perfeito todo este artigo!!!

  • Anónimo

    O acto da "escolha" de um Rei, em sim mesmo, é men...

  • José Aníbal Marinho Gomes

    Resposta da Senhora Deputada Dr.ª Ilda Maria Arauj...

Links

_EM DESTAQUE

_RISCOS ASSUMIDOS

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D