Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

16
Jan09

   Enquanto a banda móvel em baixo do ecrã, no noticiário das 9 da Sic Notícias, informa que caiu no rio Hudson, em Nova Iorque, um avião que rumava à «Carolina do Corte» (sic, muito a propósito), enquanto Mário Crespo penosamente balbuciava coisas sobre acontecimentos «angustiantes» em cima de imagens cedidas pela CNN, pareceu-me melhor ligar o televisor para o canal original. E logo me senti esmagado (de orgulho, como jornalista, de inveja, como cidadão) por todos os indícios do que é um país livre e civilizado.

Primeiro, jornalismo célere, rigoroso, completo. Saber dos factos em 2 minutos: que um avião Airbus A320 da US Airways com 150 passageiros e 5 tripulantes, saído do aeroporto de La Guardia às 15,30 com destino a Charlottesville, esbarrara com um bando de gansos, dois dos quais foram aspirados pelos reactores; que o piloto pousara de emergência o avião no rio Hudson 3 minutos depois; que todos os passageiros escaparam para as asas e foram resgatados sem ferimentos. E aos passageiros, nem uma pergunta sobre «como se sentiu», nem uma concessão ao drama de cordel, apenas o pedido de relatos factuais (que os maus contadores não sabem que falam mais alto).

  Segundo, uma sociedade civil viva e umas autoridades competentes: a resposta imediata, realmente imediata, de voluntários (os ferries e outros barcos que cruzavam o rio) e das autoridades competentes (Polícia, Bombeiros, Guarda Costeira, autoridades portuárias); a compostura e fluência dos passageiros que relataram o acontecimento; o rigor do presidente da companhia que enunciou apenas os factos seguros, forneceu as fontes para mais informações e recusou entregar-se à menor especulação.

  Terceiro, o presidente da Câmara e o governador, em breves e sóbrias declarações na sua estrita área de competência e remetendo tudo o resto para quem deveriam remeter. Tudo longe, tão longe da vacuidade do discurso político nacional, sobre «grandes esforços que empreendemos» com «uma grande determinação».

   Tudo escorreito, competente, adequado. A anos luz em dinamismo, vigor e grau de civilização.

 

2 comentários

Comentar post

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Publicidade

Comentários recentes

Links

_EM DESTAQUE

_RISCOS ASSUMIDOS

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D