Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

25
Dez08

Acrescia ao elenco, o pai, o Alfredo, marceneiro, benfiquista, amigo dos seus amigos, sobretudo o tinto e a ginjinha, e crente nas virtudes lenitivas da Bíblia, obra que comercializava em banca caseira, investida por atacado, a preços imbatíveis e acompanhada de kits de cozinha chinesa, porcelanas das Caldas e faqueiros de Toledo. E, por tal mercantil circunstância, havia mesmo quem nas paróquias o acusasse de dumpingue. Por último, a mãe, Noémia, doméstica e catequista, a quem competia a educação sentimental do rapaz e toda a gestão do lar, pois nessa matéria, e em outras quejandas, o pai assumia a falta de calo. Um dia, depois de muito matutar nas vantagens e desvantagens de subir ao sótão, e ter que enfrentar a oposição (ou algum cacique no exílio), Noé decidiu-se pelo avanço – em força, com recuos preventivos e possíveis coligações à esquerda ou à direita, conforme o ângulo e as prioridades, o que se mais nada revelasse, revelava, no mínimo, um prometedor espírito de estadista. Pois, nem meio caminho percorrido e a escada começou a dar sinais de inquietação, como se lá por cima houvesse algum comício ou mitingue de sociedade espírita. Coisa que podia muito bem não ser nada, mas também podia ser qualquer coisa. A custo e quase baldando-se com os achaques da escada, autênticos esbracejares de titã, Noé chegou ao último lanço. E qual não foi o seu espanto quando, depois de um zurro em si-bemol seguido de um «porracaralhofôdasse» (vocabulário nada próprio de político, mas compreensível face ao cagaço iminente) a porta abriu, como se lhe tivessem dito o santo-e-senha. A porta abria-se por mãos invisíveis, devagar, aos soluços, rangendo com ruído de porta velha. O rapaz, por prudência, não fora dali sair algum exemplar em extinção, chegou-se uns degraus abaixo, esperando a porta abrir por inteiro, encostar na parede e estancar o vaivém. Quando o medo ficou menor, ou menos insistente, e o primeiro breu se dissipou dando lugar a uma luz tímida, avançou, de mãos na cintura, feito cóboi insolente. Mas parou outra vez, acobardado pelo súbito temor da razão: podia, em última instância, saltar dali um presidente de câmara, um deputado ou um cacique.

 

(continua)

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Publicidade

Comentários recentes

Links

_EM DESTAQUE

_RISCOS ASSUMIDOS

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D