Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

22
Fev13

 

Aguentem aí os cavalos!

De cada noticia que sai sobre a existência de carne de cavalo, estamo-nos claramente a afastar do cerne do problema. Diria dos problemas. São dois.

O que se evidência nesta trapalhada da carne de cavalo é, por um lado, a exposição da complicada teia dos fluxos de carne a uma escala internacional, dos seus intermediários. Por outro lado da relativa falta de controlo eficaz: o facto dos consumidores comprarem uma coisa e estar lá outra.

Quando se fala de mais um caso de apreensão de carne de cavalo, a imprensa trata "o cavalo" como sendo qualquer coisa como terem apanhado carne de cão ou de gato. O cavalo é uma carne habitualmente consumida e, diz quem está mais informado, um alimento com muitas vantagens e qualidades.

A industrialização da carne e os seus circuitos é que são o verdadeiro problema, o de que poucos falam. Os dois aspectos que antes referenciei enfermam do mesmo mal: vivemos uma sociedade do "fast food", da comida sem rosto, uniformizada, artificial.

Fazem-se cada vez mais manifestações pró-animais com os mais diversos motivos, mas eu foco-me agora nas que são contra as touradas pois consomem uma desiquilibrada quantidade de energia face "ao problema" em causa. Note-se que sobre esta situação, diria pungente, da carne sem rosto, das "fábricas" que as criam e as abatem e que nos inunda os supermercados e restaurantes, não me lembro de nenhuma manifestação relevante. Já o touro, referenciado, que vive nas Lezírias, livremente, correndo e pastando sem problemas até à hora da sua morte na arena, gerando com isso a viabilidade dos referidos agrossistemas de sequeiro, só porque o seu abate envolve sangue "à vista", monopoliza todas as energias. É caso para dizer que longe da vista, longe do coração.

Nota: A carne sustentável, as nossas raças autóctones, de pasto e criação ao ar livre, deviam conseguir retirar proveitos deste caso. Comer muito menos carne, mas quando o fizermos, comê-la com qualidade é um imperativo de saúde e uma escolha cada vez mais acertada.

FOTO AQUI

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Publicidade

Comentários recentes

  • Anónimo

    Exmo. Senhor;Gostaria de saber se possível, o loca...

  • Ribeiro

    Parabéns pelo texto, coragem e frontalidade, apoia...

  • Anónimo

    Perfeito todo este artigo!!!

  • Anónimo

    O acto da "escolha" de um Rei, em sim mesmo, é men...

  • José Aníbal Marinho Gomes

    Resposta da Senhora Deputada Dr.ª Ilda Maria Arauj...

Links

_EM DESTAQUE

_RISCOS ASSUMIDOS

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D