Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

19
Fev13
Ao longo dos anos no meu percurso político deparei-me bastas vezes com as mais escabrosas teorias da conspiração, tanto à Esquerda como à Direita (e nos meios anarquistas e nacionalistas que se encontram “para lá” desta divisão simplista) a culpa não morre solteira e culpam-se os maçons, os satânicos, extraterrestres, uma infinidade de seitas e sociedades secretas até, graças a “gurus”  como David Icke ou Jim Marrs, a teorias que incluem todos os supracitados como sendo uma única coisa.


Estas “verdades” complicadas terão surgido em boa parte para justificar a bovinidade geral e ainda a cobardia pessoal de cada um, afinal se o controlo é absoluto, se o opositor tudo sabe, tudo controla, inclusive ambos os lados de qualquer querela ou a cúpula intelectual dos seus opositores, o melhor a fazer, o mais racional e são até, é ficar em casa confortavelmente no sofá  a regozijar-se por ser dos poucos que se encontram conscientes, despertos e cientes acerca da “verdade do mundo”.


Os mais radicais poderão até promover junto de familiares e conhecidos algumas das obras, portais internéticos e blogues que promovam essa sabedoria de que tudo está controlado, de que qualquer acção é inútil mas, felizmente para todos nós, basta-nos a vitória moral e espiritual de, na segurança das quatro paredes da nossa casa, estarmos cientes de que já os topamos e que a nós não nos enganam. 


Acabam por não compreender que a crença nesta teoria do “inimigo absoluto”, que tudo sabe e controla, é o melhor que podiam fazer ao sistema a que tanto julgam opor-se, afinal se somos governados por criaturas sobrenaturais ou extraterrestres, ou por mestres maçons detentores de conhecimentos ocultos ancestrais, está justificado que não se os pode derrubar, a maior mentira que se podia congeminar.


O mundo não é governado por satânicos e ocultistas, é  bem mais simples que isso: é governado por psicopatas viciados em dinheiro, capazes dos piores crimes para obterem mais, mais e ainda mais. Com a agravante (para todos nós) de que ao contrário de outros vícios como álcool, drogas e mulheres, o excesso de dinheiro não fará com que morram de overdose.


Publicado no semanário nacional O DIABO de 12 de Fevereiro de 2013.

2 comentários

Comentar post

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Publicidade

Comentários recentes

Links

_EM DESTAQUE

_RISCOS ASSUMIDOS

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D