Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

06
Jan13

 

Entrar a pé em plena boca da Marina do Lugar de Baixo na Ponta do Sol (Madeira) pelos vistos não é tão complicado como a persistência notável de Raimundo Quintal ao apontar o dedo aos inúmeros disparates paisagisticos e urbanisticos que se fazem por aqui. Quando digo por aqui, digo pela ilha da Madeira. Esta foto de 05.01.2013 que Raimundo Quintal publica no seu facebook é o culminar de muitos milhões já gastos.

Neste mesmo local, em 2011, Alberto João Jardim considerou pomposamente "um prazer" ser críticado "pelos tontos desta terra". 

Raimundo Quintal é isso mesmo. Mais um "tonto" deste País que conhece a Paisagem e as suas dinâmicas e avisa em tempo útil que o Homem deve adaptar-se à Paisagem e que o contrário, como se viu em 2010 com toda a dimensão. Na altura, de "tonto" passou a "inimigo da Madeira" e daí para os tribunais, acusado de calúnia, num processo movido, na prática, pelos contribuintes.

No meio desta História, cada vez que Raimundo Quintal aponta o dedo a obras mal feitas, estamos sempre a falar de obras de muitos milhões. 

 

Não sou economista mas é relativamente fácil fazer as contas: uma boa parte do nosso resgate financeiro são a sucessão deste tipo de erros: Estradas sobredimensionadas, obras faraónicas de betão de diversa ordem (Barragens, Plataformas Logísticas, etc) e quase todas sem o devido retorno financeiro e muitas, mas muitas Urbanizações por esse País fora, Loteamentos, Parques Tecnológicos e afins, que especularam sobre o uso do solo, alicerçadas no carro e no petróleo "barato", e onde o cidadão se foi endividar para o resto da vida na Banca para lá conseguir viver (ou trabalhar no caso das empresas), e que deixa os nossos Bancos hoje à beira da rotura financeira.

Aguardo esperançado o dia em que haja um comentador, um só "especialista" na nossa imprensa que também ele "entre a pé pelas pedras do nosso resgate financeiro", e afirme que o nosso resgate é na verdade, em boa parte, o resultado do betão, da especulação imobiliária e da "urbanização".

Até lá tenho que me conformar em continuar a ouvir que são os nossos "elevados custos de trabalho", as despesas do Sistema Nacional de Saúde e na Educação...

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Publicidade

Comentários recentes

Links

_EM DESTAQUE

_RISCOS ASSUMIDOS

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D