Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

06
Jan10

A MAIS PURA "LATA"


Pedro Quartin Graça

Estou há dias para comentar esta entrevista. É um caso fantástico de "lata" por parte de um dirigente patronal. Recordo-me bem de o ouvir na Comissão de Trabalho na Assembleia da República defender o não aumento do salário mínimo nacional, numa postura arrogante perante os deputados. Confirmou essa sua ideia em entrevista dada no ano de 2009. Agora, em final de mandato, vem dizer que seria incapaz de viver com 450 Euros por mês. Os trabalhadores agradecem a solidariedade deste senhor. É preciso mesmo muita "lata" Dr. Van-Zeller!

3 comentários

  • Caro Luís Serpa,

    Neste caso o que Van Zeller devia era nem ter falado do assunto. Mas como não tem vergonha na cara, e está em final de mandato, fala agora dele com todo este à vontade. Se tivesse visto, como eu vi já que o senhor esteve durante 2 horas à minha frente, a postura com que ele tratava estas questões e a necessidade de não se aumentar o SMN, perceberia, como eu percebi, que, pior do que os políticos, é a mentalidade retrógada de alguns empresários. Van-Zeller é um deles. Eu fiquei esclarecido. Pena é que muitos ainda confiem em que não deveriam confiar.

    Cumps,
  • Sem imagem de perfil

    Luís Serpa

    06.01.10

    Caro Pedro Quartim Graça,

    Obrigado pela resposta. Tenho algumas reticências em relação à "mentalidade retrógrada" de alguns empresários. Afinal, eles não vêm do planeta Zyon, e não devem ser estatisticamente diferentes dos outros de nós.

    Seja como for, proponho uma forma relativamente simples de paliar a essa lamentável característica dos nossos empresários: a próxima vez que for, por exemplo, fazer compras diga na caixa que não quer pagar a conta que a empregada (na sua grande maioria) de caixa lhe apresentou, mas que quer pagar mais, sei lá 40%? 50%?, pois o ordenado dela é muito baixo. Não o faça a título de gorjeta: chame o gerente do supermercado e exija-lhe um recibo do montante com o qual v. - e certamente todos os portugueses não-retrógrados - querem compensar os salários miseráveis dos empregados.

    Vai ver que num curtíssimo espaço de tempo encontrará milhares de aderentes a essa prática e - como por milagre - os salários dos empregados portugueses terão aumentado.
  • Comentar:

    CorretorMais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Pesquisar

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Publicidade

    Comentários recentes

    Links

    _EM DESTAQUE

    _RISCOS ASSUMIDOS

    Arquivo

      1. 2019
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2018
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2017
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2016
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2015
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2014
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2013
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2012
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2011
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2010
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2009
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2008
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D