Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

08
Dez08

 

Quem me conhece sabe que a Gastronomia é uma das minhas paixões. De tal maneira que a "casei" com outra delas, a Poesia, numa antologia que me deu tanto prazer organizar como fazer um prato sofisticado para um dia de festa, e, seguramente, muito mais trabalho. Chamei-lhe "A Poesia é para comer", uma expressão que roubei à grande Natália e que traduz na perfeição o espírito desta minha aventura poético-gastronómica.

 

Cozinhar é a melhor terapia que conheço porque exige uma atenção exclusiva, e porque é o mais completo esvaziamento mental de toda e qualquer preocupação que seja alheia ao que estamos a fazer (outra actividade que tem o mesmo efeito é o ski na neve, mas é substancialmente mais cara...). Recomendo vivamente a experiência a todos os que nunca franquearam esse mágico e encantado mundo que é uma cozinha. É um universo de possibilidades para a imaginação, de mistérios desvendados à medida que perdemos o medo e arriscamos tratar por tu sabores e cheiros evocativos de sortilégios ancestrais. Cozinhar para alguém é, indubitavelmente, um acto de amor. E pode ser também, muitas vezes, um acto de pura sensualidade. Mas a culinária é, sobretudo - e só me entende quem sabe do que falo - um prazer muito íntimo, de sublimação e de alquimia.

 

Tudo isto para dizer-vos que, como amante da cozinha que se faz lentamente e com passos tão cuidados como uma coreografia de Béjart, resisti durante muito tempo a uma máquina de cozinha alemã que dá pelo inacreditável nome de Bimby. Declinava todos os convites para uma demonstração da dita, por me parecer que ela se aplicaria mais a quem não sabe e não gosta de cozinhar. Mas estava enganada. Acabei por sucumbir, e não me arrependo, à tentação do prático, e com esta preciosa auxiliar voltei a fazer algumas receitas (as que envolvem massas trabalhadas, por exemplo) que já tinha perdido a paciência de fazer. Não me substituiu na cozinha, longe disso, faz é por mim as coisas que menos gosto de fazer.

 

Mas não se assustem... este post não é uma elegia à Bimby. A máquina vale o que vale - e vale bastante, concordo, até pelo preço - mas não é caso para sacralizá-la. Por isso hoje de manhã, ao abrir um livro de receitas que reúne "o melhor da Bimby", dei por mim a ler alguns dos testemunhos que acompanham as receitas "experimentadas e recomendadas" por algumas das suas utilizadoras de eleição, convidadas a pronunciar-se sobre as qualidades da maquineta. E no meio dos previsíveis "A Bimby é qualidade de vida", "A Bimby é independência", "A Bimby é imprescindível", e até de um criativo "A Bimby é bimbástica", encontrei uma senhora que afirma convictamente, com um largo sorriso de beatitude, "A Bimby é a minha alma gémea". Estaquei, arrepiada. São declarações destas  bimbas que legitimam aquela velha piada machista que sempre me irritou solenemente: "Sabem porque é que os vestidos de noiva são brancos? Porque o branco é a cor dos electrodomésticos!"

 

3 comentários

  • Imagem de perfil

    Ana Vidal

    09.12.08

    LOL. Quem sabe, Luísa, quem sabe...

    Com que então, uma cozinheira de luxo? Mas olhe que com esses ingredientes "de substância" também se podem fazer óptimos pratos e muito requintados! A cozinha tradicional portuguesa é excelente e muito rica.

    Quanto ao micro-ondes, é como o telemóvel: uma conquista sem retorno. :-)
  • Sem imagem de perfil

    J.C.

    09.12.08

    O micro-ondas? Sem retorno e inventado por um homem, de certeza...
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Pesquisar

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Publicidade

    Comentários recentes

    • Anónimo

      Exmo. Senhor;Gostaria de saber se possível, o loca...

    • Ribeiro

      Parabéns pelo texto, coragem e frontalidade, apoia...

    • Anónimo

      Perfeito todo este artigo!!!

    • Anónimo

      O acto da "escolha" de um Rei, em sim mesmo, é men...

    • José Aníbal Marinho Gomes

      Resposta da Senhora Deputada Dr.ª Ilda Maria Arauj...

    Links

    _EM DESTAQUE

    _RISCOS ASSUMIDOS

    Arquivo

      1. 2020
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2019
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2018
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2017
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2016
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2015
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2014
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2013
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2012
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2011
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2010
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2009
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2008
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D