Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

Depois não se admirem

João Eduardo Severino, 08.12.08

Em Atenas a polícia baleou mortalmente um jovem. Foi o rastilho para o eclodir de violentos distúrbios e confrontos. Montras partidas, carros incendiados, lojas e bancos (incluindo o Millennium) destruídos e pilhados. Vários feridos entre os populares e os agentes policiais. Na noite passada a violência continuou. Naturalmente, que a morte do jovem foi um pretexto para que a revolta interior que há muito é sentida por milhares de pessoas devido ao desemprego e às injustiças governamentais viesse, sem apelo nem agravo, para o exterior das ruas e contra tudo o que lhes aparecesse pela frente. A situação na capital grega está a ficar caótica, mas é um aviso. Um alerta a outras capitais europeias, incluindo Lisboa. As pessoas andam a encher, a encher de desalento, desespero, de dívidas, de injustiças e assim que chegar uma oportunidade expelem o fel da razão. Ainda hoje é noticiado algo que indigna milhares de portugueses, que revolta, que nos leva a perder a cabeça. Mais de um milhão de portugueses contratualizou um plano de seguro de saúde. E foi-lhes dito que poderiam escolher qualquer unidade hospitalar em caso de doença. Agora, sabe-se que 50 por cento dos doentes oncológicos dos hospitais privados são forçados a terminar, quando há vaga, o tratamento no Serviço Nacional de Saúde. Por outro lado, os supermercados como verificaram que as pessoas, devido à crise, optaram pela compra de produtos brancos, não perderam tempo a aproveitarem-se da miséria alheia. Pelo silêncio do oportunismo já aumentaram os produtos brancos em 14 por cento. Depois não se admirem...

1 comentário

Comentar post