Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

23
Set09

Khadafi esteve em Portugal e exigiu escapatória para eventual ataque - Quem pagou tudo isto?


Pedro Quartin Graça

Portugal agradece, penhoradamente, a recente escala que Khadafi, conducator da Líbia  e ex-apoiante do terrorismo internacional (agora novo amigo do Ocidente), fez no território nacional e que, certamente, encheu de orgulho todos os Portugueses. Efectivamente, o presidente líbio, Muammar Khadafi, só aceitou fazer escala em Portugal, a caminho da 64ª Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque, depois de o Estado português lhe ter assegurado uma escapatória em caso de eventual ataque contra si e a sua comitiva. A GNR e a Força Aérea definiram a Base Aérea de Sintra como local de fuga, devido à proximidade do Hotel da Penha Longa ( Sintra), onde o presidente líbio e os numerosos acompanhantes ficaram hospedados. Há vários meses que o governo líbio tinha reservado o Hotel da Penha Longa como alojamento durante a escala em solo português. Além do espaço para montar a tenda onde normalmente insiste em ficar alojado, Khadafi reservou ainda 90 quartos para os seus acompanhantes. Recorde-se que Khadafi esteve em Portugal em 2007, por ocasião da Cimeira UE-África, tendo ficado também alojado na sua tenda, montada no Forte de São Julião da Barra. Quanto à segurança da comitiva líbia, apesar de não ter havido um pedido formal ao Estado, foi ordenado à GNR que mantivesse na Penha Longa o mesmo dispositivo constituído para a cimeira militar da NATO que decorreu no passado fim-de-semana naquela unidade hoteleira. Perto de cem militares, entre patrulheiros, elementos de operações especiais, atiradores furtivos e inactivadores de explosivos, permaneceram em redor da Quinta da Penha Longa. Mesmo assim, Muammar Khadafi só aceitou entrar no hotel de Sintra depois de ter a certeza de que lhe estava assegurada uma rota de fuga em caso de ataque planeado contra a sua comitiva. “Trata-se de uma exigência que o líder líbio faz em todas as visitas, oficiais ou particulares, que efectua ao estrangeiro”, disse ao CM fonte ligada ao processo. Face à exigência, o comando da GNR de Lisboa e a Força Aérea consideraram a Base Aérea de Sintra como a escapatória ideal, dado que a proximidade da Penha Longa e os bons acessos viários asseguravam uma fuga rápida, sem previsão de incidentes, ao líder líbio. Khadafi embarcou para Nova Iorque ontem à tarde.

 

Pergunta-se: quem pagou toda esta brincadeira que envolveu centenas de agentes de segurança nacionais e quem fez questão que Khadafi aterrasse em Portugal? Terá Luís Amado algo a dizer sobre o assunto?

1 comentário

Comentar post

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Publicidade

Comentários recentes

Links

_EM DESTAQUE

_RISCOS ASSUMIDOS

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D