Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

Adeste Fidelis

João Távora, 01.12.08

Claro que prefiro acreditar que a autoria de Adeste Fidelis pertence a D. João IV. De qualquer forma é um dos mais belos hinos de Natal que conheço, e qualquer data justifica a sua audição, muito mais hoje que celebramos a restauração da independência e a dinastia da casa de Bragança.

 

...e por favor não se esqueçam de explicar bem às vossas criancinhas (e porque não aos vossos crescidinhos) o significado do feriado de hoje.

O Marcelo que não dá jeito

Duarte Calvão, 01.12.08

Ainda não vi os jornais de hoje e pergunto-me se deram a devida relevância às declarações de Marcelo Rebelo de Sousa ontem na RTP. Não, não me estou a referir à rejeição liminar que fez à hipótese de voltar a ser líder do PSD, antes ou depois das eleições de 2009, mais um dislate que ocupou a cabeça dos nossos comentadores políticos e jornalistas durante uma semana, mas sim ao ter chamado "insensatos" e "tolos" aos que acham que Manuela Ferreira Leite deve ser derrubada antes das eleições. Nessa estranha aliança que se fez nos jornais, e noutros sectores da nossa sociedade, entre socialistas e opositores internos de Ferreira Leite (com alguns inocentes úteis à mistura), será que só são seleccionadas as palavras do "professor Marcelo" que dão jeito à campanha contra a líder do PSD?

Jorn Utzon: morreu sem ver o que de mais belo criou

João Eduardo Severino, 01.12.08

A Opera House, em Sydney, foi o local que mais prazer me deu em visitar e escutar ali concertos de excelência, em contemplar horas a fio a sua arquitectura ímpar e peculiar e fotografar dos mais diferentes ângulos a sua beleza exterior. O seu criador, o arquitecto dinamarquês Jorn Utzon faleceu no sábado com 90 anos, sem nunca ter visitado a sua obra-prima que lhe valeu a atribuição do famoso Prémio Pritzker.

Jorn Utzon deixa uma marca exemplar para todos os arquitectos do mundo para além desta obra monumental. E é esse exemplo que desejo sublinhar. Ele venceu o concurso público em 1957, mas acabou por se distanciar do projecto em 1966, muito antes da sua inauguração, em 1973, devido a escândalos relacionados com derrapagens financeiras e várias discrepâncias com as autoridades australianas. O edifício seria terminado por outros arquitectos contratados pelo Governo australiano, que não seguiram as indicações originais nomeadamente quanto ao interior da ópera. Jorn Utzon nunca mais quis regressar à Austrália e nunca chegou a ver a sua obra, mostrando bem como ainda existem profissionais com espinha dorsal...

País demitido

João Eduardo Severino, 01.12.08

Em Portugal comemora-se hoje um feriado nacional. Não parece. O 1º de Dezembro, o seu simbolismo histórico de Restauração Nacional, o feito histórico dos antepassados, a Independência Nacional, não passam de meras balelas para os "senhores" que muito orgulhosa e ardilosamente dirigem os órgãos de comunicação social. É revoltante e chocante para um ouvinte da rádio estatal - Antena 1 - que a sua programação e noticiários desta manhã não incluam uma referência divulgadora, informativa e esclarecedora do que se passou no 1º de Dezembro de 1640 para que hoje se comemorasse um feriado. Nada de nada. Não deve ter havido tempo para organizar um programa que convidasse historiadores republicanos ou monárquicos, mas que recordassem um feito memorável. Os noticiaristas, pela sua juventude, não fazem a mínima ideia do que se comemora nem foram chamados à atenção pelo chefe de que esta manhã deveriam relembrar os mais idosos e ensinar aos mais jovens a razão de ser feriado. Do mesmo modo se lamenta que os principais diários não tenham feito uma qualquer referência na primeira página sobre a efeméride. É na verdade, um país demitido...

Pág. 22/22