Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

30
Set13

Os isaltinos que merecemos

João Ferreira Dias

Os erros governativos, a corrupção no poder central e local, as leis feitas nas escondidas, etc., não são apenas culpa da classe dirigente. O eleitorado chamou para si a culpa, e não pequena, quando abriu mão do seu papel de vigilante da Democracia e prefere, em plena noite eleitoral, assistir a mais uma edição da Casa dos Segredos. Temos os isaltinos que merecemos.


26
Set13

Agenda Cultural do Município de Ponte de Lima

José Aníbal Marinho Gomes

Foi a partir do mês de Abril de 2013 que a Agenda Cultural de Ponte de Lima, da responsabilidade do Município, começou a incluir na contracapa frases ou citações de algumas personalidade famosas. Começaram a ser incluídas citações "leves" mas com muita profundidade, passando posteriormente a focarem-se na corrupção.  Acontece que a agenda de Setembro já foi retirada do site do Município e o mês ainda não terminou. Sabe-se que o vereador responsável por este pelouro, o independente Franclim Sousa, não vai integrar a lista do CDS/PP, da qual foi dispensado e que em Julho passado numa entrevista ao Jornal "Cardeal Saraiva" referiu que sai "magoado" mas com as "mãos limpas". Logo parece óbvio que estas citações devem ter um destinatário, quem será a personagem misteriosa?
 
 
23
Set13

Tudo em Família

José Aníbal Marinho Gomes

Sabiam que o Dr. Pedro Manuel Pena Chancerelle de Machete, Juiz do Tribunal Constitucional, foi o relator do parecer que deu luz verde às candidaturas dos autarcas que atingiram limite de mandato, desde que o sejam noutra autarquia?  

Sabiam que este Sr. Juiz é filho do actual Ministro dos Negócios Estrangeiros, Dr. Rui Manuel Parente Chancerelle de Machete, o tal que cometeu uma "incorrecção factual" ao escrever, numa carta em 2008, nunca ter tido acções da Sociedade Lusa de Negócios (SLN) e que no dia 2 de Setembro a propósito do chumbo do TC da medida de Requalificação da Função Pública, referiu o seguinte: “Até aqui, o diálogo não tem sido estabelecido da maneira que seria mais desejável. É preciso confrontar os direitos fundamentais que devem ser preservados, designadamente o princípio da boa-fé com o problema da sustentabilidade financeira do Estado, que é um valor sem o qual não há Estado que garanta direitos”.  

Porque será que o Dr. Manchete foi convidado para o Governo? Porque será que ainda não se demitiu nem foi demitido pelo Primeiro-Ministro?

Pelos vistos o Primeiro-Ministro quer voltar às “conversas em família”*…

 

*Programa televisivo, estreado na RTP a 8 de Janeiro de 1969.

Era uma conversa unívoca, sem intermediações, onde o Prof. Marcello Caetano explicava as opções políticas do regime, que tal como agora se encontrava fragilizado e decrépito, e falava das "ciclópicas tarefas" que existiam pela frente, e que actual Primeiro-Ministro, Pedro Passos Coelho, tentou copiar, quando em Junho de 2011, afirmou que “aquilo que nos espera é uma tarefa gigantesca”, e prometeu que o seu Governo não iria “desculpar-se com o passado”.

23
Set13

Alemães deixam Europa na Merkel

João Ferreira Dias

Os alemães votaram no que é melhor para eles, e neste momento o melhor para a Alemanha é a continuação de Angela Merkel. Infelizmente para o resto da Europa a continuidade da Chanceler, ainda para mais tão perto da maioria absoluta, é o pior dos resultados. O cenário fica mais negro com a iminente saída do FMI da troika, deixando esta entregue ao Banco Central Europeu e à Comissão Europeia, ambas estranguladas pelo projeto germânico. O capitalismo selvagem edificado sobre o umbigo do sistema bancário mantém-se, até ao extermínio final das sociedades em redor do espaço vital alemão. Uma repetição contínua a da história. 

 

[também ali]

08
Set13

Portugal competitivo:podemos fazer melhor

Paula Lobato de Faria

Apresentou-se em primeira mão no dia 4 de Setembro em Lisboa o "Global Competitiveness Report" 2013-14, onde se podem consultar as posições mundiais em matéria de condições para a competitividade. Ou seja, se um empreendedor estrangeiro cauto, que não conheça o nosso país, considerar investir em Portugal este é o primeiro documento que vai ler. E a conclusão provavelmente vais ser a desfavor dessa iniciativa, pois o nosso lugar, a 51ª posição, desfavorece-nos irremediavelmente.

Os problemas mais agudos são a dificuldade no acesso ao financiamento; a excessiva burocracia (Portugal é dos países onde os seus cidadãos demoram mais para conseguir cumprir as suas obrigações fiscais); o peso brutal da carga fiscal e a instabilidade política recente, agravada pela total descrença que os portugueses têm na sua classe política, nas instituições públicas, em geral, e na justiça em particular. O lugar favorável das nossas infraestruturas, sobretudo pela rede de estradas e o prestígio da nossa formação universitária não chegam para apagar o denegrido cartão-de-visita pelos problemas apontados em indicadores que são essenciais para que o país seja apelativo a investidores estrangeiros (e mesmo nacionais).

 

 

 

Precisamos ainda de aprender a cooperar e saber trabalhar melhor em conjunto, revela o relatório, bem como a saber passar da teoria à prática, com preocupação pelos RESULTADOS e não apenas em elaborar bonitos road-maps. Ainda de acordo com o mesmo documento, o país tem ainda que apostar na formação vocacional e as empresas (não só o Estado) têm que aumentar a formação que dão aos seus trabalhadores. Para não falar na taxa elevada de abandono escolar que tristemente nos caracteriza.

Cabe a todos, sector público, privado e social contribuir para melhorar o índice de competitividade do país. É um dever que nos cabe para melhorarmos as condições de vida em Portugal, não só no presente mas das gerações futuras. Melhorar a competitividade nacional é tirar muitos portugueses da pobreza.

Não é um capricho dos economistas é um dever da sociedade e dos governantes em particular. E há muito ainda a fazer, tal como mostra este relatório cujo link aqui fica para o poderem consultar em pormenor: 

 

http://www3.weforum.org/docs/WEF_GlobalCompetitivenessReport_2012-13.pdf

 

 

 

A tabela com os lugares no ranking, liderado pela Suíça:

 

 

 

 

 

 

 

 

07
Set13

Coelho voador

Duarte d´Araújo Mata

Estes lapsos são compreensíveis: Desde que se fez campanha eleitoral afirmando um conjunto de certezas e se fez exactamente o oposto, é natural que se acredite que até um coelho possa voar.

Mas, mesmo sendo categorizada de "ave" e "fresca", não lhe garante o vôo. Nem baixinho.

Imagem retirada AQUI

07
Set13

o alberto, o roberto e os dinossauros

Sofia de Landerset

 

Todos os anos, a minha casa é assaltada pelo Alberto. Um belo dia, o governo decide que o Alberto tem de dar lugar ao Roberto. A questão é saber se o Alberto pode passar a assaltar a casa do vizinho, ou não.

 

A lei da limitação de mandatos dos presidentes de câmara destina-se, alegadamente, a acabar com a corrupção nas autarquias. Qualquer pessoa com meio dedo de testa percebe o disparate. E qualquer pessoa, mesmo sem testa nenhuma, percebe que leis destas só servem para inglês ver, porque o português sabe bem do que é que a casa gasta. 

Entretanto, entretém-se a intelligentsia deste país a discutir gramática, ignorando alegremente o facto de alíneas diferentes do mesmo artigo usarem tanto "de" como "da", o que só demonstra o extremo rigor da coisa.

 

Gosto de pensar que as pessoas não são estúpidas, ao contrário do que pensam as excelentes elites que nos governam.

É evidente que não adianta chamar a polícia, porque ninguém vai aparecer para prender o tipo que me assalta a casa todos os anos.

Posto isto, gostava de ser eu a decidir se o Alberto tem de dar lugar ao Roberto, e quando.

03
Set13

Vício de Forma

João Ferreira Dias

Quando um primeiro-ministro profere uma declaração, de alto teor populista, indagando se "já alguém perguntou aos mais de 900 mil desempregados do que lhes valeu a Constituição?", isto significa que estamos a atravessar um velho rio em direção ao passado. Nessa lógica, nem um Estado de Direito tira a fome ou cura o cancro. E porque a Liberdade também é um hábito que se perde, no final ela não garante empregos ou segurança. Exato, Dr. Salazar, perdão, Passos Coelho. 


[também ali]

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

RSS Feedburner

Subscribe in a reader

Publicidade

Links

_EM DESTAQUE

_RISCOS ASSUMIDOS

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D