Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

31
Dez12

UM NOVO BLOG COM UMA EQUIPA DE LUXO NA ARTE DE "RISCAR"

Pedro Quartin Graça

Foi uma reestruturação como nem o melhor Governo de Portugal seria capaz de fazer. Feita discretamente, de uma assentada, a custo "zero" para o erário público. Um blog inteiro, já com história na Internet, renovado de alto a baixo, com a ajuda da fabulosa equipa do SAPO, a quem agradecemos. Uma equipa de luxo contratada pelo mérito das pessoas, como mandam, ou deveriam mandar, os tempos actuais. Podia ser um "Governo-sombra", mas não é. Mas, inegavelmente, trata-se de um conjunto de primeira categoria que colocamos "ao serviço do país". Agora, política e exageros à parte: tenho a enorme honra de apresentar a nova equipa do blog Risco Contínuo. São todos, elas e eles, pessoas que pensam pela sua própria cabeça e com muito para dar a Portugal. São monárquicos, são republicanos, são"troikos" e "anti-troikos", são católicos, ateus e candomblés. E há, inclusive, quem escreva usando o Acordo Ortográfico! Mas, acima de tudo isto, são Portugueses. É o novo Risco Contínuo. Estaremos aqui a marcar, com as nossas diferenças, a partir de 1 de Janeiro de 2013. Vamos a isso!

 

 Aline Gallasch-Hall de Beuvink

Aline Gallasch-Hall de Beuvink é deputada pelo Partido Popular Monárquico (PPM) na Assembleia Municipal de Lisboa (desde 2009). Integra a 1ª Comissão Permanente de Administração, Finanças, Património, Desenvolvimento Económico e Turismo; a 2ª Comissão Permanente para a Reforma Administrativa da Cidade e a 8ª Comissão Permanente de Intervenção Social e Promoção de Igualdade de Direitos e Oportunidades na mesma Assembleia. Defende uma política mais centrada no património e na cultura como ferramentas para a dinamização social e alavanca de promoção de emprego e projecção da imagem de Portugal no exterior.
É doutorada em História pela Universidade de Évora, tendo desenvolvido uma tese sobre os teatros de ópera régios em Portugal no século XVIII e os seus espaços cenográficos, tema sobre o qual tem apresentado comunicações e trabalhos escritos em Congressos Internacionais e Nacionais, em universidades de vários locais, como Oxford, Viena, Graz, Paris, Montpellier, Madrid, Roma, Milão, Génova, Rio de Janeiro, Coimbra, Lisboa.
Foi assistente convidada na Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa (2010-2012), fazendo parte da equipa de colaboradores do CIAUD da mesma Faculdade. Leccionou na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa entre 1999 e 2007, onde licenciou-se em História da Arte (1999). Defendeu nesta faculdade a tese de Mestrado (2004) sobre as influências egípcias (egipcizantes) da ópera A Flauta Mágica, de Mozart, assunto sobre o qual continuou a investigar e a apresentar comunicações.
Em 2002 recebeu, em São Paulo, uma Comenda e Grã-Cruz da Ordem Portugal-Brasil, da Sociedade de Estudos de Problemas Brasileiros, pelo trabalho que tem desenvolvido na área da Cultura.
Pertence a várias associações culturais e de solidariedade. Desenvolve, há muitos anos, trabalho de voluntariado. Devido às suas raízes ucranianas, preocupa-se com as questões relacionadas com os emigrantes da Ucrânia e países de Leste, bem como em promover um intercâmbio das relações culturais e económicas entre Portugal e a Ucrânia.
É casada, é contra o Acordo Ortográfico de 1990 e defende que a Monarquia Constitucional é a forma mais estável de governação para Portugal.

 

António Santos Ferro

António Ferro um dos escassos portugueses que trabalha, desde há anos, no Eurocontrol, organização europeia que assegura a segurança do espaço aéreo do "Velho Continente". Nos últimos anos faz valer as suas enormes qualidades pessoais e profissionais como membro eleito do Comité Executivo do poderoso sindicato belga Unyon Sindicale. António Ferro, ex-controlador de tráfego aéreo, vive há mais de 20 anos em Bruxelas, capital da Bélgica, e é claramente um dos portugueses que maior prestígio conquistou naquele País, fruto do seu trabalho diário, todo ele feito "na sombra", mas de enorme eficácia. Foi candidato às eleições para o Parlamento Europeu em 2009.

 

António Silva Laires

António Marques da Silva Laires é Coronel da Guarda Nacional Republicana, na situação de reforma. Nasceu em Penalva do Castelo, onde viveu até 1961. É licenciado em Economia, pelo Instituto Superior de Economia, Universidade Técnica de Lisboa, com uma Pós-Graduação em Gestão Financeira, pelo Instituto Superior de Gestão, Lisboa.

Na GNR, teve como actividades mais significativas as de Comandante da Companhia de Intervenção – Regimento de Infantaria; Coordenador da segurança da Assembleia da República e Residência Oficial do 1.º Ministro; 2.º Comandante do Regimento de Infantaria; Chefe da Repartição de Relações Públicas do Comando-Geral da GNR; Chefe da Repartição de Operações do Comando Geral da GNR.

Entre 1993 e 1998, comutativamente com as funções acima referidas, desempenhou igualmente as seguintes tarefas de Professor de Táctica das Forças de Segurança na Academia Militar; Professor de Operações das Forças de segurança, no Instituto de Altos Estudos Militares; Director dos Cursos da GNR na Academia Militar.

Entre 1998 e 1999 foi 2.º Comandante e depois Comandante em exercício da Unidade de Polícia Civil da ONU, em Angola e, entre 2001 e 2003 foi Subdirector-Geral da Direcção-Geral de Viação;

De 2004 a 2008 foi Juiz Militar da 1.ª e 2.ª Varas Criminais do Tribunal Criminal de Lisboa (Boa-Hora). Ex-candidato à Presidência da Câmara Municipal de Penalva do Castelo.

Ao longo da sua longa carreira obteve diversas qualificações profissionais, em diversos Departamentos dos E.U.A., das quais se destacam: Seminário integrado no programa de Assistência ao Combate Anti-Terrorista, nomeadamente no “Federal Bureau of Investigation”, Academia do FBI, “Drug Enforcement Administration”, “New York City Police Department”, NY; “New York Port Authority”, NY.; Curso de Métodos Analíticos para a Investigação de Actos terroristas, National Association of Chiefs of Police, Washington, DC (USA); Curso de “Estratégia Civil-Militar para o Desenvolvimento Interno”, na Escola de Operações Especiais da Força Aérea em Hurlburt Field, Florida, (USA); Curso de “Formação de Equipas das Nações Unidas, em Oslo, Noruega; Seminário sobre Operações Humanitárias e de Paz em Ravenna, Itália.

 

Cláudia Borges de Abreu

Cláudia Borges de Abreu faz de tudo um pouco, e faz bem, apesar da sua juventude. Formada pela ETIC - Escola Técnica de Imagem e Comunicação, sucessivamente, em Cinema (2006-2009), Jornalismo (2010-2012), Pósprodução Vídeo (2012), em Imprensa Escrita, pelo Cenjor (2012) e pela SingularWay (2012), é jornalista por paixão e experimentou a televisão, o teatro e a música. Com um Workshop de câmara com o realizador da Tv Globo (Aloysyo Filho), fez figurações especiais, entre outras, no “Dei-te Quase Tudo” de Tozé Martinho (2005/2006), Fala-me de Amor (2006) e Laços de Sangue (2010). No teatro participou em “Espectros”, baseado na obra “Ghosts” de Henrik Ibsen (2006) e no “Já Chegámos à Madeira” Teatro Revista de Miguel Dias e produção de Tozé Martinho (2008). Concluiu o workshop de Teatro, Maquilhagem e Dança do actor Rui de Sá (2007). No cinema foi produtora, anotadora e maquilhadora na curta - metragem: “Reborn”, para o Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa, S. Jorge; realizadora e Produtora da curta-metragem: “A Última Dança” (projecto Etic) e realizadora, Produtora, Actriz e Cantora no video-clip/ documentário musical: “The Experience Live of Cláudia Abreu” (Projecto Etic). Participou no “Fest Training Ground” (International film students encounter), organizado pelo Fest com a participação de Tom Stern (Director of Photography) and Alex Rodriguez (Editor). Deu ainda aulas de cinema/realização e edição – a iniciados como Professora nos Salesianos de Lisboa (desde 2009). No domínio da música tem o Workshop de Canto – Março 2006 e vasta experiência de Aulas de canto. No jornalismo foi repórter – Festival Clube de Criativos de Portugal, Jornalista telejornal tv “5 minutos no mundo” (Projecto Etic_) e integrou a equipa ETIC na organização do Festival DocLisboa 2007 na qualidade de Pivot. Foi jornalista (estagiária) na redacção da TVI, nomeadamente no On-line TVI24 (Sociedade) e na Televisão (Desporto). É voluntária no IPO de Lisboa, uma das suas grandes paixões e sonha em (também) vir a ser médica.

 

Duarte d´Araújo da Mata

Duarte d´Araújo Jorge Cardoso da Mata nasce em Lisboa em 1976.

Licenciou-se em 2000 em Arquitectura Paisagista pelo Instituto Superior de Agronomia (ISA) em Lisboa. Desde cedo manteve intensa actividade cívica na área ambiental.

Em 1995 colabora como voluntário no Núcleo de Lisboa da Quercus. Em 1997 assume o cargo de dirigente associativo na Associação de estudantes do ISA (AEISA), tendo introduzido o tema do Ambiente como secção específica.

Em 1999 adere ao MPT - Movimento Partido da Terra como simpatizante, tendo assumido um cargo de coordenação entre 2002 e 2005, altura em que decidiu formalmente abandonar o Movimento.

A partir de 2005 dedica-se às questões autárquicas em Lisboa, sendo deputado municipal independente em Lisboa entre 2005 e 2007 pelas listas do Bloco de Esquerda e mais tarde, entre 2009 e 2011, representando a Associação "Lisboa é Muita Gente" agora integrada nas listas do Partido Socialista.

Em ambos os casos cessa actividade em virtude de desempenhar cargo no Gabinete da Vereação do Ambiente da Câmara Municipal de Lisboa, cargo que ainda ocupa.

Profissionalmente tem trabalhado sempre ligado às questões do planeamento de redes cicláveis e à sua relação com a estrutura ecológica.

Foi investigador no Centro de Estudos de Arquitectura Paisagista do ISA onde colaborou entre 2000-2001 e entre 2003 e 2007, tendo desenvolvido diversos trabalhos sobre as metodologias de abordagem

ao Planeamento de Redes Cicláveis e ao papel dos modos suaves como ferramenta do planeamento ambiental, bem como à sua sobreposição com os conceitos de Estrutura Ecológica e planeamento de Corredores Verdes.

Neste âmbito desenvolveu trabalho abrangendo áreas como os Concelhos de Almada, Sintra ou Lisboa, bem como Director de Projecto em processos “Rail-to-Trail” tais como a Ecopista Chaves-Vila Real ou a Ecopista do Vouga.

Ao mesmo tempo dedicou-se sempre à actividade liberal ligada ao projecto de arquitectura paisagista, primeiro em ateliers e depois mais regularmente e após 2005 como Consultor, tendo criado a sua própria empresa de Estudos e Projectos de Arquitectura Paisagista, focando a sua actividade no desenvolvimento de projectos sustentáveis e no desenvolvimento de soluções integradas ao nível do Espaço Público, tais como alguns Parques Urbanos e diversas Requalificações Urbanas de espaço Público, em Portugal e mais recentemente também no estrangeiro.

 

Fernando de Sá Monteiro

Fernando Manuel Moreira de Sá Monteiro nasceu no Porto, na freguesia de Ramalde, a 19/02/1952.

Frequentou a Faculdade de Letras da Universidade do Porto que veio a abandonar, é func. Público aposentado (Direcção Geral dos Impostos), político e investigador genealógico português, foi Presidente do Directório e da Comissão Política Nacional do PPM (Partido Popular Monárquico), (1994-1997).

É autor de inúmeros estudos de índole historico-genealógica, publicados em revistas da especialidade, em Portugal e Espanha (a Associación de Genealogia, Heráldica y Nobiliária de Galicia - da qual foi durante anos Delegado Territorial para o distrito do Porto - atribuiu-lhe o “Diploma de Investigador en Genealogia, Heráldica y Nobiliária”) e da revista “Hidalguia”, do mesmo Instituto Salazar y Castro, de Madrid, onde publicou vários estudos historico-genealógicos e autor de várias palestras radiofónicas.

É também condecorado com a Cruz de Mérito da Causa Monárquica, e membro da Ordem de S. Miguel da Ala (da Casa Real Portuguesa), bem como de outras ordens cavalheirescas, e Cavaleiro (não investido) do Capítulo Nobre da Real, Celestial y Militar Orden de Nuestra Señora de la Merced (España). É ainda Fidalgo de Cota de Armas, por Alvará do Conselho de Nobreza de Portugal, datado de 1981.

É membro do Instituto Português de Heráldica, da Academia Portuguesa de Ex-Líbris, da Sociedade Martins Sarmento, do Instituto da Democracia Portuguesa, da Associação Online de Autores de Genealogia em Português, da Academia Brasileira de Genealogia, da International Internet Genealogical Society, da Associação dos Amigos da Torre do Tombo, do Círculo Dr. José de Figueiredo, da Associação da Nobreza Histórica de Portugal, do Centro de Estudos de Genealogia, Heráldica e História da Família da Universidade Moderna do Porto (extinta), etc.

 

Gastão Brito e Silva

Gastão Freire de Andrade de Brito e Silva  nasceu em Lisboa no ano de 1966 e desde cedo mostrou gosto pela fotografia. Foi funcionário na Kodak Portuguesa onde teve o primeiro contacto com a fotografia profissional, mais tarde frequentou um curso de fotografia de publicidade que lhe abriu novas portas e perspectivas.  Em Março de 1993, fundou o Estúdio LuzViva – Fotografia Criativa, onde tem trabalhado em vários projectos nas áreas de fotografia conceptual, culinária, bebidas e arquitectura. Publicou trabalhos nos mais diversos meios de publicidade e é autor de vários textos técnicos.  Desde 2003 que ministra workshops temáticos no Studio 8A, tendo já leccionado na Univ.Católica, no ISLA, na ANIF, Arte na Linha e APAF.  Autor do projecto "Ruin'Arte" que se dedica ao património arquitectónico decadente e abandonado, tendo já feito vinte exposições com partes desta colecção.  Tem sido orador em vários seminários e tertúlias sobre este nefasto tema, e teima em continuar... É um orgulhoso pai de três filhos, casado e tem cão.  Por solidariedade com todos, não tem cor política, clube de futebol ou religião. Já não acredita no Pai Natal nem no governo, mas acredita que o mundo pode melhorar.

 

João Ferreira Dias

João Ferreira Dias, natural da capital de um quinto império prometido. Nasceu sob o signo de Orwell e é nostálgico da década de 1990, que é como quem diz é nostálgico da infância e adolescência. Escrever é um hábito que adquiriu cedo através da poesia, a qual reuniu no seu livro Um Quarto de Poema. Ama a poesia de Camões, Pessoa e Quental, mas não se reconhece na portuguesidade contemporânea, sendo um português que partilha a alma lusitana do fado com a alma escocesa da gaita de foles, ou com a alma italiana do dolce fare niente, por exemplo, porque "Dentro de mim, sou muitos". Canhoto genética e ideologicamente, tem na ideia de Liberdade a sua causa maior - "Entre a vida e a liberdade escolho a liberdade, porque a vida sem liberdade não tem sentido". Apesar de criado em atmosfera católica, não professa a salvação em Cristo, ou qualquer ideia de salvação. A religião para si é um ativo deste mundo, sendo praticante do Candomblé, religião originária do processo esclavagista para o Brasil. É Investigador e Docente Universitário de Religiões Tradicionais Africanas e suas descendências diaspóricas, tendo a sua obra Candomblé em Português sido a única publicada em Portugal sobre o assunto.

Licenciado em Comunicação Social e Cultural pela Universidade Católica Portuguesa, não se satisfez com o rumo. Especializou-se em Inserção Internacional e Política Externa do Brasil pela Universidade Técnica de Lisboa, ao sabor dos seus apreços pela diplomacia cultural, e adquiriu o grau de Mestre em História e Cultura das Religiões pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, com tese pioneira sobre o pensamento religioso Yorùbá. Co-fundador da Associação Portuguesa de Cultura Afro-Brasileira (APCAB) e da Comunidade Portuguesa do Candomblé Yorùbá (CPCY), pessoa coletiva religiosa da qual é vice-presidente.

Tem sido grande defensor de uma nova orientação lusófona da Política externa portuguesa, de uma nova arquitetura diplomática ao nível cultural e de uma reconstrução da narrativa histórica portuguesa. Sem experiência política à exceção de ter integrado a lista encabeçada pelo fundador deste blogue na candidatura à reeleição como Presidente do Movimento Partido da Terra. Acredita que a política tem por objetivo a defesa dos interesses nacionais, das populações e dos mais desfavorecidos. Considera o Neoliberalismo vigente criminoso.

Escreve em acordo com o Acordo Ortográfico e na blogosfera desde 2005.

Página pessoal: www.joaoferreiradias.net

 

Jorge Silva Paulo

Jorge Manuel Pereira da Silva Paulo é Capitão de mar e guerra ECN (engenheiro construtor naval), na Reserva, fora da efectividade de serviço. Licenciatura, Ciências Militares Navais-Engenheiro Maquinista Naval; Escola Naval-Portugal - 1984. Master of Science (MSc), Arquitectura Naval; University College-London - 1990. Pós-Graduação, Projecto de Submarinos; University College-London - 1990. Master in Business Administration (MBA); Heriot-Watt University-Edinburgh - 1999. Pós-Graduação, Estudos Europeus; Faculdade de Direito-Universidade de Lisboa - 2003. Pós-Graduação, Advanced Security Studies (E-PASS); George Marshall Center-Germany - 2008. Pós-Graduação, Estudos Estratégicos e de Segurança; FCSH-Universidade Nova de Lisboa - 2012. Curso Avançado de Limitação de Avarias, Escola de Limitação de Avarias - 1987. Curso Monográfico de Liderança, Instituto Superior Naval de Guerra - 1992. Curso Geral Naval de Guerra, Promoção a Oficial Superior, ISNG - 1995. Curso de Concepção e Gestão de Projectos, Instituto Nacional de Administração - 1997. Curso Complementar Naval de Guerra, Qualificação, Instituto de Estudos Superiores Militares - 2006. Curso de Combate à Poluição do Mar, Iniciativa 5+5 Defesa, Marinha Francesa - 2008.

Áreas de interesse e estudo: O estado: escolhas e políticas públicas; burocracia; gestão pública. Mercado único; aquisições públicas. Políticas e economia de defesa, portuguesas, europeias e americanas. Indústrias de defesa; empresas militares. Relações internacionais; política internacional; uso da força. Combate à Poluição do Mar. Alienação parental.

Foi Oficial Engenheiro Maquinista Naval (EMQ) embarcado: NRP "S.Gabriel", navio-tanque (propulsão a vapor). NRP "Ribeira Grande", draga-minas (propulsão por motores diesel). NRP "Almirante Magalhães Corrêa", fragata (propulsão a vapor). Estágio na Construção das fragatas da classe "Vasco da Gama", Alemanha. Chefe da Divisão de Estruturas e Aprestamento, Direcção do Serviço de Manutenção. Membro da missão de aquisição do RFA "Blue Rover"/NRP "Bérrio", Reino Unido. Coordenador do programa de aquisição das lanchas da classe "Calmaria", Espanha. Coordenador da elaboração do anteprojecto das lanchas da classe "Centauro". Membro do Grupo de Projecto para a Transferência de duas Fragatas para o Uruguai. Oficial do Estado-Maior da Armada-Divisão de Pessoal e Organização. Professor da Escola Naval, áreas de organização, economia e gestão. Assistente no Instituto Superior Técnico, áreas de dinâmica do navio. Co-organizador dos exercícios de combate à poluição do mar Chefe da equipa de combate ao derrame de fuelóleo na Vala Nova (Benavente). Assessor do Tribunal Marítimo de Lisboa.

Blogues pessoais: http://perguntadasemana.blogs.sapo.pt; http://proa-ao-mar.blogspot.com

 

José Aníbal Marinho Gomes

José Aníbal Castro Marinho Soares Gomes  nasceu em Ponte de Lima a 26-9-1960.

É técnico superior na empresa Paínhas, S.A., onde é Adjunto de Direcção. Licenciado em Ciência Política e Relações Internacionais pela Universidade Fernando Pessoa do Porto e com o Curso Superior de Ciências Administrativas pela mesma universidade, actualmente a concluir o curso de direito na Universidade de Coimbra.

Cavaleiro Capitular Nobre da Real Ordem de la Merced (Espanha), Escudeiro Donato e Preceptor do Preceptorado de Ponte de Lima da Ordem de Santa Maria (Militia Sanctae Mariae), Companhia Regular e Militante dos Cavaleiros de Santa Maria, da Província da Imaculada Conceição de Portugal, por Provisão de Sua Excelência Reverendíssima D. José Augusto Pedreira, Bispo da Diocese de Viana do Castelo de 3 de Dezembro de 2006.

Foi Presidente da Delegação de Viana do Castelo da Associação Famílias - IPSS (Instituição Particular de Solidariedade Social), por Provisão de S.E.R. Dom José Augusto Pedreira, Bispo da Diocese de Viana do Castelo de 3.7.2003, até 31 de Dezembro de 2010, foi Vogal da Comissão Administrativa da Associação Tertio Millenio (Provisão de S.E.R. Dom Jorge Ortiga, Arcebispo de Braga e Primaz das Espanhas de 4.10.2004)

Foi sócio da Liga Popular Monárquica e membro fundador da Real Associação de Viana do Castelo e actual Presidente da Direcção, membro fundador da Causa Real-Federação das Reais Associações e actual vogal da Direcção, etc., ex-membro do Directório Nacional da JM e do Partido Popular Monárquico (PPM), ex-Presidente da Comissão Executiva Nacional do PPM e Ex-Conselheiro Nacional do Partido da Terra.

É também sócio do Instituto da Democracia Portuguesa.

A 1 de Junho de 1993 foi condecorado com a Cruz de Mérito da Causa Monárquica no grau de Placa.

Membro do Instituto de Genealogia e Heráldica da Universidade Lusófona do Porto, do Colégio Brasileiro de Genealogia, da Associação Brasileira de Pesquisadores de História e Genealogia, etc., sócio efectivo do Instituto Cultural Galaico-Minhoto, da Real Confraria do Divino Espirito Santo de Paredes de Coura, da Régia Confraria de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa, membro fundador do Instituto Limiano-Museu dos Terceiros em Ponte de Lima, Membro fundador do Núcleo Sportinguista de Ponte de Lima e primeiro Presidente da Direcção, etc.

Tem Certificado de Aptidão Profissional (CAP) desde 2000 pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional IEFP.

Tem o curso de “Formação Parental para Formadores” ministrado pela Associação Famílias de Braga com o apoio do IDT (Instituto da Droga e Toxicodependência) em 2003/2004.

É publicista e autor de vários trabalhos de investigação na área da genealogia, história, etnografia, etc.

Foi Director do Jornal “o Povo do Lima” desde 8 de Dezembro de 2008 a 30 de Setembro de 2011.

 

Júlio Reis Silva

Júlio Reis Silva, natural de Portimão, reside em Lisboa.

É licenciado em Direito (Menção de Ciências Jurídicas), pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (Clássica), Pós-graduado em Reabilitação Urbana e Requalificação Ambiental, pelo Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE), obteve o Certificado de Suficiência Investigadora e Diploma de Estudos Avançados (DEA) em Direito Eclesiástico do Estado, pela Faculdade de Direito da Universidade da Extremadura (Cáceres, Espanha). É doutorando em Direito Público (Jurisprudência Ordinária e Constitucional), na Faculdade de Direito da Universidade da Extremadura (Cáceres, Espanha).

Investigador do Observatório Político, desempenhou até à presente data vários cargos públicos: Secretário-Geral Adjunto do Ministério da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território; Vice-Presidente do Instituto do Consumidor; Coordenador do Observatório da Publicidade (Instituto do Consumidor/Escola Superior de Comunicação Social).

Foi docente no Instituto Superior de Ciências Educativas (ISCE) de Direito Administrativo e Direito do Trabalho, no Instituto Superior de Comunicação Empresarial (ISCEM) de Direito Internacional Público e foi Director Pedagógico da Escola Profissional Infante D. Henrique – Pólo de Lisboa.

Exerceu a advocacia e é autor e co-autor de várias publicações.

 

Manuel Ferreira dos Santos

Nascido em Barcelos a 13 de Julho de 1962.

Ambientalista e empresário. Licenciado em Engenharia Física e dos Materiais pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa e Mestre em Engenharia Mecânica, perfil de Energia pelo Instituto Superior Técnico de Lisboa em 1995. Desenvolveu trabalho em vários ateliers de Arquitectura e em Construtoras na assessoria a soluções eco-sustentáveis, nomeadamente no encontro de soluções de eficiência energética e a integração de soluções energéticas renováveis no edificado e no planeamento urbano.

Foi o mentor e assessorou o projecto do primeiro sistema fotovoltaico integrado na rede eléctrica e em edifícios em Portugal (EDP-Setúbal, 1993). Assessorou o desenvolveu do projecto de um Jardim de Infância com aproveitamento das águas pluviais, de integração de iluminação natural e energia solar térmica esteticamente incorporada no edificado, tendo obtido um prémio de sustentabilidade na edificação pela Universidade de Ferrara, Itália (Sintra, 2004).

Tem actividades de intervenção cívica no âmbito da sustentabilidade e das energias renováveis. Tem desenvolvido publicações, sendo a última uma brochura dedicada á Energia e Alterações Climáticas patrocinada pelo Centro Jacques Delors em Lisboa e dirigido ao público adolescente do 3º ciclo do ensino básico.

Ex-Secretário-Geral do MPT – Partido da Terra e dirigente em várias associações ecologistas.

 

Maria Manuel Guerreiro

Maria Manuel Guerreiro é uma orgulhosa alentejana de Serpa. Licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Autónoma de Lisboa – Luís de Camões  e com o curso de Jornalismo do CENJOR – aperfeiçoamento de imprensa e técnicas de jornalismo televisivo, é actualmente Assessora Jurídico-Parlamentar na Assembleia da República. Anteriormente foi jurista no Departamento de Recursos Humanos/Gabinete Jurídico do Instituto de Oftalmologia Gama Pinto I.O.G.P., Assistente convidada na Universidade Lusófona de Lisboa, onde leccionou a cadeira de Historia da Diplomacia Portuguesa e Assistente convidada na Universidade Internacional de Lisboa, onde leccionou Direito Constitucional II. Fez estágio profissional de advocacia na sociedade de advogados Raposo Subtil e Matos Esteves Associados, em Lisboa, com especial incidência nas áreas de Direito das Obrigações; Contratos públicos e privados; Comercial; Direito Administrativo; contencioso Declarativo e Executivo; Recuperação de créditos; Direito Penal; Direito Contra – Ordenacional; Arrendamento Urbano; Direito Falimentar; Contratos Civis e Comerciais; Direito do Trabalho; Direitos de Autor e Propriedade Industrial. Foi ainda Assessora no Gabinete de Comunicação da Cruz Vermelha Portuguesa. Entre 1997 e 1998 foi jornalista e colaboradora permanente da Revista Visão, experiência a que juntou a sua anterior passagem pela publicidade como copy writer, em dupla criativa , na agências Publicis e J. Walter Thompson. Foram-lhe atribuídos as seguintes distinções: Primeiro prémio para Spot de Rádio, sob o título – Mulher desafinada – Agência Publicis, no âmbito da Campanha Publicitária ‘Comércio Tradicional’ e ainda a menção como melhor mailing Renault 1995, Agência Publicis, no âmbito da Campanha Publicitária ‘Cinema’.

 

Paula Lobato de Faria

Paula Lobato de Faria é licenciada em direito, no ramo jurídico-económico, mestre em direito da saúde pela Universidade de Bordéus e doutorada em direito pela Universidade Montesquieu, com equivalência ao doutoramento em direito público pela Universidade Nova de Lisboa (UNL). É professora associada da Escola Nacional de Saúde Pública da UNL. Desde 2004 que coordena um projecto de intercâmbio académico nas áreas do direito da saúde, bioética e direitos humanos com a Boston School of Public Health da Universidade de Boston. Tem-se dedicado ao ensino e investigação do direito da saúde e do biodireito em Portugal e no estrangeiro. Trabalhou como investigadora na Universidade de Oslo. Colaborou em diversos painéis de peritos no âmbito da Comissão Europeia. Foi Coordenadora da Comissão Nacional da Década das Nações Unidas para a Educação em Direitos Humanos (1998-2002). Contribuiu na elaboração de projectos de legislação nacional na área da saúde. Tem publicado artigos em revistas nacionais e estrangeiras sobre os aspectos jurídicos e legais do sistema de saúde, da responsabilidade de profissionais e unidades de saúde, da segurança do doente, da protecção e confidencialidade da informação de saúde, dos direitos e deveres dos doentes e dos biobancos. É autora, entre outras, da obra “Medical Law in Portugal”, capítulo da “International Encyclopedia of Laws” (edições Kluwer, 2010).

 

Paulo Trancoso

Paulo António Rodrigues de Noronha Trancoso nasceu em Lisboa, a 22 de Maio de 1945. Frequentou o Liceu Pedro Nunes. Cursou Medicina em Paris (3 meses) e Lisboa, mas em 1969 é chamado para o serviço militar e abandona. Durante o serviço militar consegue tempo para fazer um curso de cinema, o primeiro ministrado no então Instituto de Novas Profissões. Retornado à vida civil ingressa na agência de publicidade Ciesa, onde trabalha com «tv producer». É aí que começa a realizar alguns «spots» publicitários. Colabora na revista Enquadramento. Em 1978 funda a sua própria empresa produtora que, em 1982, tomará o nome de Costa do Castelo Filmes. Trabalha sobretudo em publicidade. Em meados dos anos 80, com o advento do «home vídeo», é um dos sócios da Publivideo e uma das pessoas que está na raiz do projecto de televisão privada que mais tarde daria origem à SIC. No princípio dos anos 90 funda, com o brasileiro Walter Arruda, a Máquina dos Sonhos, uma empresa de produção de televisão que fará as séries Procura-se (RTP, 1992), Giras & Pirosas  (SIC, 1992), A Viúva do Enforcado  (SIC, 1993) e a telenovela A Banqueira do Povo (RTP, 1993). Para além da produção de filmes portugueses Paulo Trancoso (sempre na Costa do Castelo) é responsável pela produção executiva de alguns filmes estrangeiro rodados em Portugal, como  The House of the Spirits, de Billie August (1993),  La Reine Margot, de Patrice Chéreau (1994) ou Dans la Cour de Grands, de Florence Strauss (1995).  Tem também uma presença relevante como editor de vídeo, sobretudo no campo dos clássicos.  Homem multímodo no seio do cinema, televisão e publicidade, Paulo Trancoso tem como ponto alto da sua carreira A Selva.

Ecologista, foi fundador e Presidente da Comissão Política Nacional do MPT - Partido da Terra.

 

Pedro Quartin Graça

Jurisconsulto. Presidente da 1ª Secção do Júri de Ética do ICAP - Instituto Civil da Autodisciplina da Comunicação Comercial e Assistente Convidado do ISCTE-IUL. Pedro Quartin Graça é licenciado em Direito (Ciências Jurídico-Políticas) pela Universidade de Lisboa, mestre em Sociedades e Políticas Europeias pelo ISCTE-IUL e DEA em Direito Público pela Faculdade de Direito da Universidade da Extremadura. É doutorando em Direito na Universidade Carlos III de Madrid e possui várias pós graduações: em Altos Estudos de Ciências Políticas, pelo Instituto de Estados Políticos, Direito da Saúde e Bioética, pela ENSP-FDL, Finanças internacionais-Finanças Europeias, pelo CEDI, Reabilitação Urbana e Requalificação Ambiental, pelo ISCTE-IUL, e Direito do Ambiente, pela Universidade Católica Portuguesa/APDA.

É ainda membro associado do Dinâmia`CET. Profissionalmente foi, entre outros, Secretário-Geral da Associação dos Produtores/Realizadores de Filmes Publicitários; Membro do Conselho Consultivo da Actividade Publicitária; Chefe de Gabinete na Vereação da Câmara Municipal de Lisboa; Professor Convidado do Instituto Superior de Novas Profissões; Secretário - Geral da Associação Portuguesa de Software; Director Executivo da Ordem dos Arquitectos; Assessor Jurídico do Conselho de Administração da TVI - Televisão Independente, S.A.; Professor Adjunto da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa; Advogado; Árbitro do Tribunal Arbitral do ICAP; Assistente no ISCEM - Instituto Superior de Comunicação Empresarial; Membro do Conselho Directivo da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa; Membro da Direcção da Associação Académica da Faculdade de Direito de Lisboa; Membro da Assembleia de Representantes da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Ecologista e monárquico, é Ex-Presidente da Comissão Política Nacional do MPT – Partido da Terra e ex-membro das Comissões Política e Executiva do Directório do PPM. Deputado Municipal na Assembleia Municipal de Lisboa e Deputado à Assembleia da República na X Legislatura (X Legislatura). Fundador dos Institutos D. Diniz – Ecologia e Desenvolvimento e  IDP – Instituto da Democracia Portuguesa.

Autor ou co-autor de cerca de quatro dezenas de obras e estudos, publicados em português, castelhano, alemão e mandarim.

Veterano da blogosfera e das redes sociais em Portugal, Pedro Quartin Graça foi um dos primeiros portugueses a possuir um blog e a fazer uma utilização total das redes sociais em política, nomeadamente do Facebook e do Twitter. Autor ou co-autor de diversos blogs, de que se destacam, para além do Risco Contínuo, os seguintes:  Estado Sentido; Ilhas Selvagens e És a nossa Fé!


Sofia de Landerset

É mãe de 5 filhos e não tem nenhum curso superior, mas não precisa. Sabe muito mais do que muitos que o têm. Estudou numa grande escola, a Alemã de Lisboa. Adoptou o Algarve como sua terra e é lá, na sua fabulosa Villa Joaninha, que recebe amigos de Portugal e de todo o mundo. Pensa pela sua própria cabeça e gere, como ninguém, o orçamento do mês. Mestre na arte do dominar o Facebook, tem sempre uma palavra contundente para com a mediocridade. É a Sofia de Landerset e está aqui de pleno direito.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

RSS Feedburner

Subscribe in a reader

Publicidade

Links

_EM DESTAQUE

_RISCOS ASSUMIDOS

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D