Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

Risco Contínuo

Estrada dos bravos, blog dos livres

31
Mai09

Centenário da República

João Távora

Não devia haver comemorações nenhumas. É um episódio triste da história portuguesa e não devia haver comemorações nenhumas. Para todos os efeitos foi uma ditadura. A ditadura não nasceu do vácuo, nasceu da República! 

Leia na integra as considerações de Vasco Pulido Valente sobre o tema: aqui  

(29 de Maio em entrevista ao Correio da Manhã e ao Rádio Clube Português)

 

31
Mai09

Domingo de Pentecostes

João Távora

Leitura dos Actos dos Apóstolos


Quando chegou o dia de Pentecostes, os Apóstolos estavam todos reunidos no mesmo lugar. Subitamente, fez-se ouvir, vindo do Céu, um rumor semelhante a forte rajada de vento, que encheu toda a casa onde se encontravam. Viram então aparecer uma espécie de línguas de fogo, que se iam dividindo, e poisou uma sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar outras línguas, conforme o Espírito lhes concedia que se exprimissem. Residiam em Jerusalém judeus piedosos, procedentes de todas as nações que há debaixo do céu. Ao ouvir aquele ruído, a multidão reuniu-se e ficou muito admirada, pois cada qual os ouvia falar na sua própria língua. Atónitos e maravilhados, diziam: «Não são todos galileus os que estão a falar? Então, como é que os ouve cada um de nós falar na sua própria língua? Partos, medos, elamitas, habitantes da Mesopotâmia, da Judeia e da Capadócia, do Ponto e da Ásia, da Frígia e da Panfília, do Egipto e das regiões da Líbia, vizinha de Cirene, colonos de Roma, tanto judeus como prosélitos, cretenses e árabes, ouvimo-los proclamar nas nossas línguas as maravilhas de Deus».


Da Bíblia Sagrada
 

 

30
Mai09

Professores e manifestações

Filipe de Arede Nunes

Parece que já foram mais de cem mil os professores na rua a protestar contra a política de educação do nosso Governo sendo que hoje não terão sido mais de cinquenta e cinco mil.

Confesso que compreendo e estou solidário com os professores que se sentem indignados com a forma como têm sido, despoticamente, tratados pela Ministra da Educação.

No entanto não consigo deixar de achar que os professores começam - ou até já terão começado há algum tempo - efectivamente a ser manipulados por um conjunto de sindicalistas - liderados por Mário Nogueira - que parecem estar mais disponíveis para o combate político do que para a defesa dos interesses da classe que supostamente defendem.

Talvez seja esta uma das razões que levou muitos daqueles que já se manifestaram anteriormente a ficar em casa desta vez!

29
Mai09

A campanha negra de Vital

João Távora

Na viragem para a última semana de campanha o atrapalhado professor de Coimbra entrou em desespero. Ontem à noite em Évora Vital decidiu focar o seu pedagógico discurso nos delicados assuntos europeus: abordou o tema da corrupção, aquilo que ele chama a “roubalheira” do BPN, insinuando que não é por acaso que os envolvidos militem todos nas fileiras do PSD.  Certamente uma questão de genética política: tempos houve que constava à boca pequena serem os pedófilos tendencialmente socialistas...
Ainda a respeito das opções estratégicas que o Partido Socialista propõe para a Europa, Vital Moreira revelou à nação incrédula que, precisamente dentro de pouco tempo, uma centena, duas centenas, três centenas de trabalhadores, voltarão a estar activos nas minas de São Domingos em Mértola; mas que afinal não: confundiu as minas com as de Aljustrel,  coisa bem diferente. Coisa parecida com uma, ou duas, ou três centenas de trabalhadores com emprego. Estamos conversados!
 

29
Mai09

Serviço público

João Távora

Com a devida vénia ao João Miranda no Blasfémias

 

Dias Loureiro vs. José Sócrates

 

 

Dias Loureiro

José Sócrates

Existem suspeitas vagas sobre Dias Loureiro, embora ainda ninguém lhe tenha atribuído um crime concreto. Terá participado num negócio fictício em Porto Rico? Terá mentido ao Parlamento? Charles Smith foi filmado a dizer que José Sócrates recebeu dinheiro para aprovar o Freeport. José Sócrates foi o responsável pela aprovação do Freeport nos últimos dias de um governo de gestão.
Autoridades portuguesas dizem que Dias Loureiro não está a ser investigado. Autoridades portuguesas dizem que José Sócrates não está a ser investigado.
Nenhuma autoridade estrangeiras está a investigar Dias Loureiro. As autoridades inglesas estão a investigar José Sócrates.
Oliveira e Costa diz que Dias Loureiro mentiu. Tinha interesse em dizer que mentiu. Charles Smith foi filmado a dizer que José Sócrates recebeu dinheiro para aprovar o Freeport, mas depois desmentiu a acusação. Tinha interesse em desmentir.
Dias Loureiro não é arguido. José Sócrates não é arguido.
Na SLN Dias Loureiro desempenhava funções privadas e tinha responsabilidades perante privados. No Ministério do Ambiente, José Sócrates desempenhava funções públicas.
Dias Loureiro era Conselheiro de Estado, nomeado pelo Presidente da República. Desempenhava cargo com pouco poder e baixo risco para o sistema. Foi dito que Dias Loureiro descredibilizava o Conselho de Estado. José Sócrates é conselheiro de Estado. Até ao momento, ninguém se lembrou de dizer que a sua presença no Conselho de Estado descredibiliza a instituição.
Dias Loureiro não era primeiro-ministro. José Sócrates é primeiro-ministro. Desempenha um cargo de muito poder e alto risco para o sistema.
Dias Loureiro não podia ser demitido pelo Presidente da República. José Sócrates pode ser demitido pelo Presidente da República.
Investigação do caso BPN prosseguiu de forma normal. Investigação do caso Freeport parou durante 4 anos. Lopes da Mota está a ser investigado por ter feito pressões sobre responsáveis pelo processo.
Cândida Almeida nunca deu entrevistas sobre o caso BPN. Cândida Almeida deu uma entrevista sobre o caso Freeport.
Dias Loureiro demitiu-se. José Sócrates não se demitiu.

 

28
Mai09

Os conselheiros de estado (e a república)

João Gomes de Almeida

 Vivemos numa república - o que é trágico, pasmem-se, mesmo trágico. Existem cada vez mais sinais de que esta república está a morrer, a cair de podre, não só enquanto paradigma político, mas mais do que tudo enquanto forma de regime. Esta república não serve os interesses do povo, não serve os interesses de Portugal - esta república tem o grande problema de excluir mais as pessoas do que as unir. Esta república peca por vários motivos, o primeiro deles todos é ser uma república.

 Ora vejamos, no  estimado Corta-Fitas, a Maria Inês de Almeida deixa algumas questões pertinentes: "Não há mulheres conselheiras para além da Leonor Beleza? Que idade tem o mais novinho conselheiro de estado? E a partir de que idade é que se pode dar conselhos?". Meus caros, os conselheiros de estado são o espelho da nossa república, se não vejamos:

  • Temos em primeiro lugar sete inerências directas devido ao exercício de cargos da nação, respectivamente: Presidente da República, Presidente da A.R., Primeiro-Ministro, Presidente do TC, Provedor de Justiça e os dois presidentes dos governos regionais.
  • Depois temos três lugares (para já) reservados aos ex-presidentes, que por pior mandato que tenham feito têm direito a ser conselheiros, ou como diz a Maria Inês a "darem conselhos".
  • De seguida apresentam-se as nomeações laranjas, perdão, as nomeações do Sr. Aníbal. Que são o media man Marcelo Rebelo de Sousa, a polémica ex-ministra Leonor Beleza, o médico e agora escritor como o irmão, João Lobo Antunes e o Pedro Miguel da Conceição Agostinho, que veio substituir o polémico banqueiro/bancário dos 10 milhões, Miguel Cadilhe.
  • Por fim temos os "eleitos" da Assembleia da República, onde encontramos Jorge Coelho, o CEO de uma das maiores empresas de construção do país, Francisco Pinto Balsemão dono de uma das maiores cadeias de comunicação social do país, António de Almeida Santos, o autarca António Capucho e Manuel Alegre ex-futuro líder do novo partido de esquerda.

Não fui fazer as contas, mas facilmente percebemos que a média etária do Conselho de Estado deve andar aí pelos 60? anos, sendo que José Sócrates vem desequilibrar um bocadinho as contas. Em suma, a república em Portugal dá imunidade e chama a conselheiros únicamente pessoas que já têm responsabilidades de estado, que são indicados pelos partidos políticos representados na A.R. ou que são indicados pelo próprio P.R. o que neste caso significa serem simpatizantes do PSD (vejamos que três ex-líderes do partido estão no Conselho de Estado).

 Agora deixo eu algumas questões: porque é que a república não chama a aconselhá-la pessoas com reconhecido mérito na sociedade civil? Porque não vemos o Fernando Nobre (Presidente da AMI), o Manoel de Oliveira (cineasta), o Arquitecto Ribeiro Telles (ecologista), o Professor Mendo Castro Henriques, o Vasco Rocha Vieira (general), o Pedro Ayres de Magalhães (compositor e músico), a Agustina Bessa Luís (escritora), o Vergílio Castelo (actor) ou o Miguel Esteves Cardoso (jornalista) no Conselho de Estado? Será que não seria preferível ouvir estas pessoas? A resposta talvez seja óbvia: a república serve apenas a política dos interesses e do lobby. Estas pessoas não interessam à república.

Pág. 1/14

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Publicidade

RSS Feedburner

Subscribe in a reader

Publicidade

Links

_EM DESTAQUE

_RISCOS ASSUMIDOS

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D